Antonio Noberto é recebido pela prefeita de Berthegon e ministra palestra sobre a relação histórica França Maranhão

Compartilhe!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Após a palestra, a prefeita serviu um farto coquetel aos vários presentes no evento

No dia 26 de outubro de 2019, chegamos em comitiva de seis pessoas na pequenina cidade de Berthegon, no Poitou, berço do fundador de São Luís, o navegador francês Daniel de la Touche de la Ravardière. Nossa equipe era formada por mim, Antonio Noberto, representando a Academia Ludovicense de Letras de São Luís, acompanhado da minha esposa Aline Vasconcelos, da minha filha Alana e da minha irmã Helena Noberto. Nós quatro fizemos uma viagem de 1.500 quilômetros, dirigindo de Lisboa, Portugal, até Berthegon, no coração da França. Presentes também o nosso amigo organizador do evento, o ator francês Jean Marie Collin, e a Esposa dele, a maranhense Margareth. Eles moram na Bretanha, a 300 quilômetros dali e estavam no Poitou há dois dias, ajudando nos preparativos da nossa palestra.

Quando entramos na cidade ficamos surpresos com os vários cartazes anunciando o evento do dia seguinte, que incluía uma apresentação de Antonio Noberto sobre La Touche e a relação histórica França Maranhão iniciada por ele no início do século XVII. Antes do evento, uma visita a lugares históricos a pequenina cidade, guiada pela prefeita Bernardete Cottier. Primeiro as dependências da prefeitura, e em seguida, à igreja católica, onde se encontra na parte superior da eclésia o brasão da família La Tousche (originalmente possuía um “s” no meio). De volta ao salão de eventos da prefeitura, realizei a entrega de presentes à Madame Cottier, sendo souvenires de bumba-meu-boi e camisas que retratam um pouco da cultura maranhense. Em seguida, na presença do meu anfitrião na França, o amigo ator Jean Marie Collin, e de um ex-prefeito daquela cidade, entreguei uma coleção de mapas e imagens que retratam um pouco a França Equinocial. O objetivo é que a localidade dê início a um acervo sobre a relação histórica entre as duas cidades co-irmãs.

A palestra

A ministração ocorreu em francês, vez que o público majoritariamente era poitevin (pronuncia -se poatevan). Primeiramente apresentei as 12 imagens que doei à prefeitura, todas com tamanho médio de 0,90m X 0,75m, e autocolantes. Imagens com os índios da França Equinocial (de Uçaguaba (Vinhais Velho, em São Luís), Mucuripe (Fortaleza/CE) Caieté (Bragança/PA), levados para prestar honras a Luís XIII. Três nativos faleceram em Paris e três retornaram. Entregamos também um exemplar do mapa São Luís antes da fundação, que retrata a presença gaulesa desde o final dos anos mil e quinhentos na Ilha Grande. Ofertamos uma cópia do mapa da França Equinocial, de autoria de Terciano Torres e Antonio Noberto. Apresentamos o pavilhão da França Equinocial, doado pela rainha regente Maria de Médice e tantos outros.

Frisamos a importância da minúscula cidade de Berthegon está associada a fundação de São Luís, uma cidade de mais de um milhão de habitantes. Após 50 minutos de uma viagem no tempo, abrimos para as perguntas. E ao final, vários bate papos com os moradores da cidade e de arredores.

A prefeita finalizou fazendo a entrega de alguns mimos da região.

acompanhe

INGRESSE NA NOSSA LISTA DE EMAILS

Explore mais!

5 comentários em “Antonio Noberto é recebido pela prefeita de Berthegon e ministra palestra sobre a relação histórica França Maranhão”

  1. Norberto é um orgulho para a literatura nordestina, Que Deus nos abençoe e nos proteja, porque o bem vai superando o mal, e somente conhecendo a verdade seremos livres (Jo 8:32) Que o Brasil seja sempre dos Nacionalistas Brasileiros. Saúde e paz ! 🙏🙏🙏

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *